SUPREMACIA COLORADA, NÚMEROS E CARÁTER!

O QUE MUDOU NO MUNDO COLORADO E O QUE PERSISTE DO LADO DE LÁ!
25 , ¼ de 100, ½ de 50, e também a diferença de vitória a mais do Inter sobre o pseudo-rival. Isso é o que mudou para o Colorado, uma vantagem de 26 jogos que passou para 25. Um Inter que inexplicavelmente, só jogou só 45 minutos, aliás, 45 minutos é o número de títulos estaduais, 9 a mais que o pseudo.

É claro que existe o anímico. É ruim perder para qualquer time em casa, pior ainda é perder para um clube que pratica o anti-jogo, se joga em campo(lance de Kanemann e Cuesta), provoca o adversário (um “ninguém”, Maicon e a lenda D’Alessandro), tem apoio da arbitragem que deixou de marcar 2 pênaltis para o Inter com um facilmente e “menos” pênalti para o pseudo. Essas são as lições que ficam de um jogo, sim, mais um clássico “válido”(pois os wo’s do grenal, oficialmente não são válidos), mas que para competição só valia classificação para quem desvalorizou o tempo inteiro e devia ter sido eliminado. Nesse critério o Inter deixou de fazer lá atrás quando podia deixar de jogar, como o fez em 45 minutos do grenal, e não o fez. Mas esse revés em jogo com cara de treino, deixou lições importantes. Agora para as quartas de final, o Inter do segundo tempo precisa entrar em campo, e mesmo sem esperança nenhuma, a mídia precisa analisar o provocador, o simulador e não a postura de quem já é lenda no futebol. Já passou da “zero hora”, que os papagaios de microfone se tornem homens e profissionais, e no segmento, exaltem o futebol, não os clubes CBF ou do patrão. Quando o “ninguém”(futebolisticamente falando), faz um gesto provocador ao árbitro denegrindo o D’alessandro, esse deve ser comentado e punido, não o fato de mais uma vez o Dale ceder a “cretinagem” dos adversários. Fica claro que o desespero do rebaixamento, eliminação, gritado como foi o possivel tri da américa do inter anos atrás, mostra como funciona o sistema.
Enfim, questão é, não valia nada, mas agora vale, então vamos jogar bola, pois o futebol sempre irá vencer. Fato esse que o segundo tempo de jogo ofuscou totalmente o placar do jogo, mesmo com os “faladores” adjetivando com a bunda os dois tempos de jogo. Mas o torcedor com honestidade intelectual sabe o que aconteceu.
#VemSerUmPuroSAngue
apoio:
TocDeAmor

Anúncios

GRÊMIO JOGA PESADO.

A mídia não costuma apontar para certos clubes brasileiros quando se trata de atos “perigosos” no meio futebolistico. Vejam casos drone, e-mails do Inter, Vitor Ramos, Fluminense e Portuguesa, etc.

Quando a coisa aperta a noticia sai de circulação, o que o povo não sabe, não existe.

O fato é que o grêmio sabe o caminho das pedras. Com receio de uma visível retaliação da arbitragem na final contra o  Lanús na Libertadores, as gazelas montaram um dossiê em vídeo apontando os erros da mesma, no mesmo molde que o Inter fez com o Corinthians e 2009. A diferença foram as intenções, Inter levou a publico o caso para demonstrar fatos da bola, o gremio levou o dossiê aos PATROCINADORES da competição, isso mesmo, atacou a Conmebol no bolso, ali onde mais dói no “sistema” quando o mais importante é o dinheiro. Com a intenção clara de encostar a entidade na parede, o clube jogou pesado e agora pode sofrer sansões pesadas, pois sabemos que não há critério “desportivo” nesse meio.
A Conmebol não permite, em caso de processos administrativos, defesa presencial, somente por escrito.

, e as decisões são tomadas com portas fechadas. Tal punição vai passar pela reação que esse dossiê causou nos patrocinadores, de novo o poder da grana que ergue destrói coisas belas. Se os mesmos acharam ruim, punição ruim, se os mesmos gostam de um café para dar mais energia no dia, punição boa. A velha lei do quem paga mais!
Claro é que, diferente das outras advertências, casos de campo e na bola, punidas com multas, essa ação do grêmio direta aos patrocinadores, é inédita, e podemos ter uma reação também inédita da Conmebol.  O grêmio jogou pesado e não pode reclamar de uma punição, caso vier, pesada, afinal você pode jogar pesado em um jogo sujo e se sujar em um jogo pesado, cabe ao torcedor decidir para quem é sujo e quem é pesado.

Siga⇓
YouTubeBlogFaceTwitter Instagram!

INTER FORTE!

ELENCO DO INTER, se fechar todas as possibilidades lançadas no mercado, de contratações, vai dar muito trabalho para os times CBF da série A.

O novo nome que surge é do meio campista, Walter Montoya, atualmente no Sevilla.O clube apresentou uma proposta de empréstimo de um ano pelo jogador e aguarda resposta.

Outros nomes que tramitam pelo Beira -Rio são os de Alejandro Silva e Acosta, vice-campeões da Libertadores pelo Lanús e Moledo, do Panathinaikos, para zaga. A diretoria Colorada ainda negocia as vindas de Wellington Silva e Rithely no mercado nacional. Esses nomes somados ao atual elenco não podem ser ignorado pelos bons entendedores de futebol, o que descarta 99% da mídia esportiva brasileira, é claro.

Siga⇓
YouTubeBlogFaceTwitter Instagram!

TÍTULO!

TÍTULO!
Sabedor de que o objetivo já foi alcançado, o acesso a série a qual o Inter foi impedido arbitrariamente de participar em 2017, o grito da mídia que “vale taça”, pode ser uma cilada ao torcedor que vai ao Estádio Beira-Rio. Esse deve entender que hoje é dia de festa, independente do resultado. O América fez por merecer e para eles vale muito mais a primeira colocação da competição de acesso. O grande título Colorado esta em ver todo um sistema ter que engolir o retorno do MAIOR VENCEDOR FIFA DO PAÍS. Voltamos e vamos incomodar “saraivas, pedros e neros”. O Inter tem missão árdua em 2018, volta a enfrentar o apito, stjd e demais equipes. Uma vaga para Libertadores em 2019, e ultimamente, nessas competições nacionais de títulos sorteados, é o que mais vale. É claro que se der para beliscar um título aqui outro ali, sempre é bom. Assim como hoje, mesmo sendo um título de série B, para o Sport Club Internacional valeria o de número 59º FIFA, outro feito relevante do clube mais vencedor de todos os tempos desse país!
#VemSerUmPuroSangue
#58titulosFIFA
#HojetemInter
#PSVermelho
#SDV

O DESABAFO DO GAROTO

Sasha é um Leo Messi? Óbvio que não!
Mas esta longe de ser o cristo da vez. Eduardo Sasha é um atleta que se sacrifica pelo grupo. Ao cumprir a função tática de recompor o meio campo quando o time perde a bola, e ninguém a faz tão bem quanto ele, o jogador perde a sua característica de atacante. O torcedor se acostumou a ver o guri atacando da extrema para o centro de forma aguda mas ele não faz mais essa função. A frente você tem Pottker nesta e Damião como referencia, tanto que quando o Inter abre mão de marcar no meio para ser mais agressivo, sai Sasha e entra Nico.
Com o Zago, Eduardo não teve a chance que teve e abraçou com o Guto, esse por sua vez, trabalhou muito com o atleta na base, o conhece mais que ninguém. Com a chegada do treinador e essa mudança no esquema, o Inter arrancou para o acesso. Sasha não foi artilheiro como todos queriam, mas muitos dos gols que o Inter nem chegou a correr o risco de levar, foi desarme ou cobertura do garoto.
O torcedor é passional, escuta muito radinho na hora do lance, chega até o nível de cabeça de amendoim e a gente entende. Entende a pressão que esse mesmo torcedor se deixa levar por um cronista que assim escreve, no aconchego do seu lar depois de ver e rever os lances da partida sorvendo um bom “café”!
O que a gente não entende, é agressão fortuita a uma cria da casa, patrimônio do clube. Desafeto esse pelo simples fato de ser disciplinado taticamente. Esse torcedor que quer um espetáculo a cada jogo não entende a gangorra do futebol e por isso não percebe quando esta para, ali no alto, que quase tocando as nuvens nos da o acesso para novos voos!
Que venha 2018, e tenhamos a competência ninja de Eduardo Sasha, filho do Sport Club Internacional!
#VemSerUmPuroSangue!
STJD, voltamos!!!!

Siga⇓
YouTubeBlogFaceTwitter Instagram!

QUEM DECIDE?

DIREÇÃO NOVA, VELHOS ERROS!
Guto Ferreira foi demito na tarde após o jogo contra o Vila, um time que tomou uma postura incompreensível. Após achar seu empate no velho gol “bruxo”, que tem assombrado o inter a anos, não foi pra frente tentar sua aproximação do grupo de acesso. Após o gol, o Vila se portou como se um empate desse o “ponto do título”, mas que título?! Adiar o eminente acesso Colorado, demitir o técnico do Inter? O Vila, no segundo tempo, catimbou como time de várzea, batia a carteira e gritava “ladrão”. Uma postura de quem voltou do intervalo com outro objetivo, jogar água no shop do Inter.
O Inter, grupo, por sua vez não entendeu, mais uma vez o jogo. Essa página tem dito ao longo do ano que: No Beira Rio entra pra frente, os times, todos, vão trincando ferro jogar dentro do Gigante. Times covardes com o intuito de não perder e tirar pontos do Inter. Contra times assim se coloca uma formação que mexa com a marcação adversária, 2 meias, atacantes com domínio de bola. Não se engessa o ataque com um Damião que vira referencia, se bota a bola no chão e entra tocando a bola. Guto Ferreira não viu isso, se viu sofreu uma pressão da diretoria ontem escancarada com sua demissão. Pressão essa reflexo de uma mídia e de vândalos que se dizem torcedores, comprovado já, mas omitido por essa mesma mídia, infiltrações de torcedores de clubecos locais. Mas não importa, o grupo não teve postura nas últimas rodadas, mas demitir o técnico, tres dias de um jogo chave, onde empate, aí sim, é “título” para o Inter, é no mínimo inconsequente. O Inter perdeu de se classificar ontem, no intervalo do jogo. Essa página entrou em contato com a Rádio Colorada, comentário do intervalo, e pediu uma alteração no time que se explicava. O Vila encaixou seu jogo e o time perdeu o campo de jogo e podia ter levado o empate ainda no primeiro tempo. Danilo inseguro no gol, alisando a grama viu a bola passar 3 vezes a frente do seu gol. A mudança deveria ter acontecido no vestiário, mudar a marcação, e tentar evitar o empate já batendo a porta. Postar a marcação na intermediária e sair no contra ataque para matar a partida. Não aconteceu, Guto Ferreira mais uma vez, só se mexeu após levar o gol, fez mais do mesmo, não teve a leitura correta do jogo mas não foi demitido por isso. Foi demitido pela incompetência de uma diretoria fraca e midiática. Se o Inter tivesse uma diretoria forte e séria o Inter não estaria na série B por direito. Seria Inter na A ou bola parada em 2017.
Todos nós já vimos esse filme antes e terminou em 5 a 0. Agora só basta esperar que não se repita e consigamos, numa formação retrancada, agora nós cortando ferro, não perder em Barueri. No mais esperar qual será o novo erro para 2018 a ser contratado por Medeiros, o nome forte na mídia, que parece mandar nessa direção do clube, é o gremista Roger que afundou o próprio gremio e Atlético de Minas. Que os deuses da bola nos ajude.
#VemSerUmPuroSangue
Siga⇓
YouTubeBlogFaceTwitter Instagram!

CLÁSSICO DOS CLÁSSICOS!

INTER MANDA NO MAIOR CLÁSSICO DO BRASIL

Nunca vamos saber ao certo, se esses ranking’s, diferente dos de entrada que valorizam a PONTUAÇÃO, são para criar polêmicas e vender rivalidade ou realmente são para premiar as torcidas mais apaixonadas.

No momento, a real é que o jornal inglês Daily Mirror  “criou” um ranking, se não for igual aos da CBD, é válido, para listar os 50 maiores clássicos do futebol mundial.

O grenal, clássico das paixões, ficou em nono lugar. Lembrando que o clássico gaúcho, já há muito desigual devido a “suprema superioridade” Colorada, já listou o topo em outros ranking’s semelhantes. Assim sendo, a dupla  faz o maior clássico do Brasil, à frente de Fla-Flu e Corinthians x Palmeiras. Talvez porque a influencia da mídia esportiva tupiniquim ainda não tenha chegado ao velho mundo!
Confira abaixo a lista dos top10:

  1. Boca Juniors x River Plate (Argentina)
  2. Barcelona x Real Madrid (Espanha)
  3. Celtic x Rangers (Escócia)
  4. Al Ahly x Zamalek (Egito)
  5. Fenerbahçe x Galatasaray (Turquia)
  6. Nacional x Peñarol (Uruguai)
  7. Lazio x Roma (Itália)
  8. Liverpool x Manchester United (Inglaterra)
  9. Grêmio x Inter (Brasil)
  10. Borussia Dortmund x Schalke 04 (Alemanha)Siga⇓
    YouTubeBlogFaceTwitter Instagram!

O PROFISSIONALISMO GRENAL

BREVE RESUMO.
Em 1933, tivemos a implantação do futebol profissional em nosso país. De forma muito precária e pouco evoluído até hoje, mas o suficiente para estabelecer um marco importante na história do futebol nacional.
O ano de 1933 representa o início do “profissionalismo” do futebol brasileiro.
Campeonato Gaúcho de Futebol de 1942, 22ª edição da competição no Estado do Rio Grande do Sul, passa a ter duas competições estaduais – o Campeonato Gaúcho de Profissionais e o Campeonato Gaúcho de Amadores. Os campeões das regiões se enfrentaram na disputa pelo título. O Colorado foi o primeiro campeão gaúcho da era profissional e o ano marca o início do profissionalismo no Campeonato Gaúcho. Algumas ligas e clubes se converteram imediatamente, outros optaram por permanecer no amadorismo ou comemorando resultados amadores. O primeiro grenal da era profissional foi vencido pelo Colorado por 4 a 2 no dia 30 de agosto do mesmo ano pelo Citadino. O primeiro revés só viria acontecer 4 anos depois, um 4 a 3 no dia 13 de agosto de 44 também pelo Citadino.
No mesmo ano o Inter já teria aplicado um elástico 7 a 3 em amistoso no dia 28 de maio.
O Internacional voltaria a massacrar o Grêmio 4 anos depois com um sonoro 7 a 0 no estadual de 48, sendo essa a maior GOLEADA OFICIAL até hoje no clássico.
NÚMEROS DO CLÁSSICO PROFISSIONAL:
356 confrontos
138 vitórias com 453 gols pró, 117 empates e 100 derrotas com 383 gols contra.

Siga⇓
YouTubeBlogFaceTwitter Instagram!

GUTO NO COMANDO!

Guto Ferreira estreou no Colorado no dia 6/3, quarta rodada, com um empate de 1 a 1 com o Juventude no Estádio Beira-Rio, Inter ocupava a décima colocação na tabela. A equipe em formação teve sequência irregular até a primeira derrota, um mê depois, de 1 a 0 contra o Boa Esporte.
Após o revés contra o time mineiro, Guto Ferreira conseguiu encaixar o time, arrumou o ponto fraco, a zaga, e com boas sequencias de vitórias foi para o topo da tabela.
Hoje o Colorado ocupa a primeira posição com boa vantagem para o segundo colocado, e melhor, grande vantagem para o quinto o que pode garantir acesso a “elite CBF”, se é que podemos chamar de elite algo que venha dessa confederação. A verdade é que, até termos uma organização decente do futebol brasileiro, os clubes dependem dos torneios nacionais para poder jogar as grandes competições internacionais.
Já para nossa mídia local, desconstruam essa ideia, o Sport Club Internacional, mesmo jogando irregularmente a segundona, ainda é o #MaiorFIFAdoBrasil, do Século e melhor produto de futebol do Rio Grande do Sul
sobe a tag #PSVermelho, pois #NadaVaiNosSeparar.
#PSV30mil